25 C
Luanda
Abril 18, 2024
Portal dos Mutualistas
EventosSeguros

Aumentar a penetração do seguro automóvel com o relançamento da declaração amigável

Fonte: Expansão

Ninguém sabe ao certo quantos veículos circulam nas estradas em Angola. Mas a maioria não tem seguro automóvel, há apenas 365.944 apólices activas. A ASAN vai iniciar uma campanha para a utilização da declaração amigável em caso de acidente, esperando que isso ajude a aumentar as vendas deste produto.

A Associação das Seguradoras de Angola (ASAN) lançou a campanha de sensibilização da Declaração Amigável de Acidente de Automóvel (DAAA) para melhorar a comunicação de sinistros e como um incentivo à subscrição de seguro automóvel, uma vez que é um seguro que tem apenas uma penetração de 18%, com 365.944 apólices activas em todas as seguradoras que actuam no nosso mercado.

Isto para uma estimativa apresentada pela instituição que aponta para a existência de 2 milhões de veículos a circular em Angola, embora uma fonte do Direcção Nacional de Viação e Trânsito (DNVT) tenha avançado ao Expansão que o número de viaturas a circular no País varia entre cinco a oito milhões, o que no limite significaria uma taxa de penetração de apenas 4,6%. Já Associação dos Concessionários de Equipamentos de Transporte Rodoviário e Outros (ACETRO) refere que não existe mais de um milhão de viaturas a circular.

Independentemente do valor apresentado, todos referem que mais de 40% dos veículos estão na província de Luanda, e estão de acordo que a que a maior parte dos carros que circulam no País continuam sem seguro automóvel, mesmo sendo obrigatório. Os especialistas contactados pelo Expansão referem que é urgente alterar esta realidade para benefício de todos os envolvidos.

Para José Araújo, director executivo da ASAN, o caminho para a adopção generalizada dos seguros automóveis passa pela consciencialização dos automobilistas sobre as suas vantagens. Mas também pela utilização dos acordos amigáveis de acidentes e pela melhoria constante das práticas das seguradoras.

É neste sentido que as seguradoras apostam agora numa campanha de comunicação e marketing que leve os condutores a utilizarem a DAAA, e que deverá começar nos órgãos de comunicação social ainda esta semana. A declaração amigável, como também é conhecido, é um documento que permite descrever as circunstâncias em que ocorreu o acidente automóvel, em que as partes comunicam às seguradoras o sinistro.

Em termos práticos, os condutores devem requerer este documento junto das suas seguradoras e andar com elas nos veículos. A DAAA é composta por dois exemplares (original e cópia) com frente e verso, e em caso de acidente deve ser preenchido e assinado pelos condutores envolvidos, ficando cada um com um exemplar para entregar à sua seguradoras no prazo máximo de 8 dias. O documento tem também uma zona, onde é possível fazer um croquit do acidente, a localização de cada um dos veículos e o sentido em que se deslocavam. O processo fica assim simplificado, uma vez que não é necessário juntar relatório da Polícia. Depois as seguradoras vão esgrimir argumentos e apurar as responsabilidades de cada um dos condutores. O cidadão fica assim sem o trabalho e a responsabilidade de acompanhar o processo para poder accionar o seu seguro, ou receber da seguradora do outro condutor a respectiva indemnização pelos danos causados.

De acordo com João Sena, membro das comissões técnicas da ASAN, a DAAA pode ser também uma medida de incentivo à subscrição do seguro automóvel, porque vem facilitar a forma de comunicar o sinistro à seguradora, ou seja, quem tem a declaração amigável, no caso de um acidente, basta preencher os dados e enviar para a seguradora, por correio electrónico ou WhatsApp, com uma fotografia, para dar início à regularização do sinistro.

Related posts

Sector segurador vale apenas 0,82% das negociações feitas na BODIVA

Mutualistas

Nossa investe 58 milhões de kwanzas em produto

portal_mutualista

Seguradoras obrigadas a publicar informação financeira no website

Mutualistas

Deixe um comentário