28 C
Luanda
Fevereiro 20, 2024
Portal dos Mutualistas
AtualidadeSeguros

Clientes da Aliança Seguros de Angola já podem fazer consultas em Portugal

Clientes da Aliança Seguros vão poder fazer consultas nos maiores grupos de saúde de Portugal, nomeadamente CUF, Trofa Saúde e Joaquim Chaves Saúde, informou o administrador executivo da instituição.

A Aliança Seguros estendeu o seguro de saúde de empresas para uma rede de parceiros em Portugal que permite aos seus clientes fazerem consultas naquele país do continente europeu, revelou o administrador executivo da instituição, Marco Mendes.

Em declarações a FORBES ÁFRICA LUSÓFONA, Marco Mendes disse que os clientes que beneficiam deste seguro vão poder fazer consultas nos maiores grupos de saúde de Portugal, nomeadamente CUF, Trofa Saúde e Joaquim Chaves Saúde, desde a imagiologia e exames médicos.

De acordo com Marco Mendes, a extensão deste serviço para Portugal, resulta de um acordo assinado neste mês (Julho de 2023), cujo valor não foi revelado por serem dados ainda confidenciais.

“Este acordo basicamente acaba por ter um valor caucionado em Portugal que depois teremos de repor. Mas, no entanto, acaba por ter uma extensão da rede da mesma forma que temos com algumas clínicas angolanas, o mesmo também acontece em Portugal, para que os clientes tenham lá consultas”, esclareceu Mendes na entrevista que ocorreu à margem da 38ª edição da Feira Internacional de Luanda [FILDA].

Marco Mendes referiu ainda que têm em carteira dois novos produtos que pretendem lançar até ao final do ano.

No que tem que ver com o exercício económico da Aliança Seguros, dos últimos seis meses, Marco Mendes referiu que iniciaram bem, mas realçou que a partir de Maio estiveram muito expostos ao gap cambial que está a afectar todas as empresas que estão alheias sobre como irão terminar o ano.

“As nossas operações de seguros têm um suporte ressegurador internacional que está muito exposto ao mercado cambial. Todo o reembolso com os nossos parceiros internacionais é feito em euro e isto faz com que haja aqui uma pequena incerteza e algumas dificuldades nas operações”, explicou Mendes.

Marco Mendes fez saber ainda que em relação a facturação em 2022, esta situou-se na ordem dos 12 mil milhões de kwanzas, um aumento de quase 5% quando comparado com o ano anterior [2021].

“Nós temos seis anos de actividade e estamos a crescer ano após ano. Todos os anos aumentamos a nossa carteira de clientes, a nossa produção e com uma taxa de retenção também muito elevada. A nossa taxa de retenção tem sido sempre acima dos 90% o que permitiu alavancar este crescimento”, considerou. 

Fonte: Forbes

Related posts

1ª conferência anual de Rochas Ornamentais Huíla 2023

portal_mutualista

Fusão entre tecnologia e seguros pode ampliar o potencial dos microsseguros

Mutualistas

Angola e Argentina ampliam volume de negócios

portal_mutualista

Deixe um comentário