26 C
Luanda
Fevereiro 27, 2024
Portal dos Mutualistas
AtualidadeEconomia

Governo recapitaliza Fundo de Garantias de Crédito com 50 mil milhões de Kwanzas

O Fundo de Garantias de Crédito recebeu um total de 50 mil milhões de Kwanzas para a sua recapitalização, no âmbito das medidas emergenciais aprovadas pelo governo angolano, com objectivo de estimular a economia nacional.

O PCA do Fundo de Garantias de Crédito, Luzayadio Simba recordou que o aumento da produção nacional, a simplificação e alívio tributário, apoio no acesso ao financiamento para o sector empresarial e a melhoria do ambiente de negócios do país fazem parte dos pilares das medidas emergenciais do governo.

“O Fundo de Garantias de Crédito insere-se no apoio ao acesso ao financiamento para as micro, pequenas e médias empresas”, afirmou Luzayado Simba acrescentando que para fazer chegar esse recurso ao público alvo, o FGC apresentou o plano de acção das garantias de crédito.

Entre o conjunto de acções previstas para a execução do fundo, Luzayado Simba apontou o aumento da cobertura de garantias de 75 para 80, a criação, para breve, de quatro agências do Fundo de Garantias de Crédito, a nível nacional, principalmente nas zonas de potencial de produção agrícola. Outra vantagem do FGC é a melhoria da comunicação entre os bancos e os promotores.

O Administrador para Área de Negócios, Eduardo Mohammed, que apresentou os projectos explicou que o principal objectivo do fundo é a promoção da segurança alimentar no país, que obrigou a que o processo de concessão de garantias fosse simplificado. O responsável disse que esse processo passou por três processos. O primeiro foi a automatização do processo de garantias de crédito, pela banca comercial, a partir de um nível de concessão de crédito que vai até 10 milhões de Kwanzas.

“Tão logo o banco der conta que o promotor está a falhar no seu processo de crédito, o banco tem a possibilidade de accionar automáticamente o fundo de garantias. E em menos de um mês o fundo de garantia irá pagar a garantia”, assegurou. Eduardo Mohammed disse ainda que fez-se aumento no nível de cobertura do fundo de garantias.

O fundo de garantia irá capitalizar os seus depósitos com os bancos que estão previstos a trabalharem com o FGC.
Já o director de Recuperação de Crédito, Celso Carvalho disse que os 50 mil milhões de Kwanzas com os quais o FGC foi capitalizado, os bancos têm a possibilidade de financiar a economia nacional com até 200 mil milhões de Kwanzas.

“O que quer dizer que quatro vezes o montante que foi capitalizado o fundo”, tendo prometido que com este valor, “tudo faremos no sentido de estimular a economia e sobretudo potenciar aquelas famílias de agricultores e também as cooperativas”, alargando desta forma as base das garantias permitidas. Disse ainda que nos mais de 11 anos de existência do Fundo de Garantias de Crédito, as médias empresas foram sempre as que mais se beneficiaram das garantias emitidas, deixando de lado as micro e pequenas empresas.

“Portanto, a estratégia é nós potenciarmos as micros e as pequenas empresas e os empreendedores singulares”, referiu, expectante em atingir “grande parte” da população e causar um efeito maior na vida das pessoas.

Por: Manuel Pedro

Related posts

1ª conferência anual de Rochas Ornamentais Huíla 2023

portal_mutualista

Fórum Nacional de Seguros 2023 vai juntar decisores do sector.

portal_mutualista

Contribuições para os fundos de pensões caem 50% para 83,3 mil milhões Kz

Mutualistas

Deixe um comentário